Falar sobre Lucca é falar sobre a história, cultura e gastronomia de uma cidade milenar única no seu genero.
Da pré existencia de povoados ligure e etrusco, à fundação romana de 180 a.C. a cidade foi “municipium” e sede do triunvirato em 56 a.C. Até a queda do império, quando foi conquistada pelos ostrogodos e bizantinos.

Com o advento dos longobardos em 570 d.C a cidade viu a recuperação econômica e política se tornando a capital do ducado de Tuscia.

No século IX os francos de Carlos Magno se estabeleceram na Toscana, mas a cidade conservou as suas instituições e sua organização até a época de Matilda de Canossa, quando se manteve fiel ao Imperador Henrique IV.

Os anos da Idade Média estão cheios de lutas, intrigas, conspirações e com o nascimento das cidades estado iniciou-se a rivalidade com a vizinha cidade de Pisa.

Com a morte do grande líder, Castruccio Castracani, em 1343 a cidade foi conquistada por esta ultima e se libertou apenas em 1372, graças à ajuda do imperador Carlos IV de Bohemia.

Exceto por um período como Ducado, sob o governo de Paulo Guinigi, a cidade desde 1430 foi sempre um governo republicano e foi capaz de re-lançamento na Europa, graças ao comércio e atividades de seus banqueiros qualificados, a cidade mudou seu rosto por quebrar as torres medievais e construir as muralhas que ainda caracterizam. Lucca viveu em paz e permaneceu uma república até 1799, quando a cidade foi invadida pelas tropas de Napoleão.

O líder francês, no entanto, concedeu o estatuto da República até 1805, quando tornou-se um principado constitucional, comandado pela irmã do imperador, Elisa Bonaparte e seu marido Felice Baciocchi.

Em 1815, após o Congresso de Viena, passou sob o controle de Maria Luisa Borbone. O ano de 1847 foi um ano histórico para Lucca: Carlo Ludovico di Borbone, filho de Maria Luisa, assinou a concessao da cidade para o Gran ducato da Toscana, fazendo-a perder a independência secular.

Em 1860 se constituiu o reino da Italia e a Toscana entrou em 1861.Durante a segunda metade do século XIX, Lucca desfrutou de um período favorável de desenvolvimento econômico, graças principalmente à sua produção têxtil e indústria de papel. No século XX, a cidade continuou no caminho do desenvolvimento, até a Segunda Guerra Mundial.

Lucca foi poupada pelo bombardeio, mas, com a frente de alguns quilómetros de distância (Linha Gótica), testemunhou represálias e episódio de violência, como o infame massacre de Sant’Anna di Stazzema.

Empreendedorismo e o faro para os negócios Lucchese fez que a cidade se recuperasse rapidamente da guerra e Lucca foi capaz de desenvolver um novo interesse, não só no campo econômico, mas também os relacionados com a tradição, cultura e turismo desta pequena cidade-estado.