Dall’arborato círculo de sua muralha Renascentista, Lucca tem mantido um contacto muito próximo com a natureza, o pequeno jardim no terraço da Torre Guinigi simboliza um pouco esta ligação entre a civilização e a natureza.
Dentro das muralhas, infelizmente, a malha densa de edifícios não mostrar esta relação significativa.
È só “subir um pouco” na parte superior para perceber como os mordores de Lucca pode manter zelosamente seus jardins.
O Jardim Botânico, desejado por Maria Luisa de Borbone em 1820 é o maior espaço verde e representa a vontade do governo de querer compartilhar com a cidade esta união indissolúvel. Desde 1500 as moradias dos senhores Lucchesi construídos nas encostas dos morros ao redor, tinha estabelecido um sistema conjunto arquitetônico, de paisagismo e agricultura, que tem poucos iguais no mundo.
Na construção destas obras de burguesia urbana no interior de plantaçoes de olivas e uvas, os Luccheses mudaram a propria paisagem tendo em conta a beleza em primeiro lugar.

As poucas Villas das 300 catalogadas, ainda são uma boa representação desta rica paisagem.
Das Villa Oliva, a Grabau e a Reale que formam um espaço unico, para a Mansi e a Torrigiani terminando na Garzoni, embora hoje já não faz parte de Lucca.
O conjunto de planícies de Lucca é extremamente rico em um tipo peculiar de habitação chamada “Cortel”.
Formada em uma lógica puramente agrícola já desde os tempos romanos, estas estruturas começaram a tomar forma a partir dos séculos XV-XVI, atingindo uma capilar expansão,criando um equilíbrio delicado e complexo entre a agricultura e habitação em todo o territorio.
A província de Lucca é muito variada: A partir do médio vale Garfagnana alterna colinas cultivadas com picos de montanha, onde no inverno, você pode esquiar.
Dois grandes parques nacionais estão na área, o parque nacional “Tosco-Emiliano” Apeninos, com fauna e flora exuberantes e raras, recentemente elevada a reservas ambientais da Unesco, e o parque das “alpi Apuane” com formações rochosas e cavernas maravilhosas.

Em direção à costa, encontramos a área protegida do Lago “Massaciuccoli” e uma extensão de mais de 25 km de costa arenosa litoral com balnearios alternando marinhas a florestas de pinheiros.

O lado da montanha é sim uma sucessão de oliveiras e cidades históricas, muitas das quais estão ligadas à presença das pedreiras de mármore, onde Michelangelo tinha extraído os bloques para suas obras. Vários parques territoriais e de conservação insistem no território Lucchese.
A partir do parque do Rio Serchio ainda dentro da aglomeração da cidade, em defesa do vale do rio Serchio e na Garfagnana:

  • Parque Nacional do appennino Tosco-Emiliano
    na parte da Toscana criado em 2001 com uma extensão de 23,613 hectares elevado a reserva Unesco em 2015. ele tem uma incrível variedade de flora incluindo prímulas, os narcisos Logarghena, florestas reais Abetina e castanha, bem como um número de espécies raras e plantas alpinas. A fauna possui lobos, aguias Reais, veados europeus, Caprioli, Falcons.
  • O Orecchiella criado em 1960 é hoje parte do parque nacional do appennino Tosco Emiliano e inclui as três reservas Orecchiella, Lamarossa e a Pania de Corfino.